INFORMAÇÃO

Nasceu em : Lisboa
Agente : HAUS
Website :www.capitaofausto.pt

A história de Capitão Fausto (Tomás, Salvador, Francisco, Manuel e Domingos) tem o seu primeiro capítulo em 2011, com “Gazela” – o álbum de estreia. Ali encontramos a urgência das canções juvenis, dos hinos pop que se cantam e sabem sempre a pouco.

Em 2014, “Pesar o Sol” chega aos escaparates. E é neste segundo álbum (muitas vezes o tudo ou nada de tantos artistas) que se impõem como uma das mais originais e criativas propostas do nosso país. Defendem-no ao vivo, com espectáculos memoráveis nos grandes e pequenos festivais, nos clubes, nos teatros, um pouco por todo o Portugal que os recebe e obriga a crescer. Como cresce exponencialmente a sua base de fãs, agora transformada em legião.

São as canções de “Capitão Fausto Têm os Dias Contados” que, em 2016, os levam a superar todas as expectativas. Pouco mais de 30 minutos de música e palavras, em modo pop recheado de primor e requinte, contam as estórias de vida de cada um dos elementos do colectivo, mas que são muito mais que isso, porque crescer é para todos.

2016 confirma que os Capitão Fausto são, finalmente, uma aposta segura. Uma aposta no bom gosto musical e na sensibilidade apurada. Uma aposta na criatividade e no fulgor de uma banda que parece imparável.

2019 chegou e trouxe “A Invenção do Dia Claro”, o quarto álbum de originais dos Capitão Fausto.

Gravado nos Red Bull Studios São Paulo, por Rodrigo “Funai” Costa, assistido por Alejandra Luciani e Fernando Ianni, o novo registo foi produzido e misturado em Alvalade pela própria banda. A masterização esteve a cargo de Brian Lucey no Magic Garden Mastering, em Los Angeles. A capa é da responsabilidade de Vitor da Silva, ilustrador e designer gráfico responsável pela criação do grafismo de jornais notáveis como o “Expresso”, o “Tempo” e “Correio da Manhã”.

“Sempre Bem”, “Faço As Vontades”, “Amor, a nossa vida” e o mais recente “Boa Memória”, mostram uma banda que renasce a cada disco, que se renova com o cuidado de quem quer construir uma carreira sólida, de uma forma aparentemente galopante mas sem o torpor do deslumbramento. Apaixonados por Cartola, samba e choro, foram ao Brasil apostados em reinventar-se.

Capitão Fausto: Tomás Wallenstein, Salvador Seabra, Manuel Palha, Francisco Ferreira e Domingos Coimbra.

 

Fonte: Sony Music

FOTO DO ARTISTA

Capitão Fausto

PUBLICIDADE