C G
Lá na rua onde eu moro, conheci uma vizinha
Am
Separada do marido está morando sozinha
G
Além dela ser bonita é um poço de bondade
F G C
Vendo meu carro na chuva ofereceu sua garagem!

C G
Ela disse: ninguém usa desde que ele me deixou!
Am
Dentro da minha garagem teias de aranha juntou!
G
Põe teu carro aqui dentro, se não vai enferrujar!
F G C
A garagem é usada mas teu carro vai gostar!

Refrão

C G
Ponho o carro, tiro o carro, há hora que eu quiser
Am
Que garagem apertadinha, que doçura de mulher
G
Tiro cedo e ponho à noite, e às vezes à tardinha
F G C
Estou até mudando o óleo na garagem da vizinha!

C G
Só que o meu possante carro, tem um bonito atrelado,
Am
Que eu uso pra vender cocos e ganhar mais um trocado
G
A garagem é pequena, o que é que eu faço agora?
F G C
O meu carro fica dentro, os cocos ficam de fora!

C G
A minha vizinha é boa, da garagem vou cuidar
Am
Na porta mato cresceu, dei um jeito de cortar!
G
A bondade da vizinha, é coisa de outro mundo
F G C
Quando não uso a da frente, uso a garagem do fundo!

Refrão

C G
Ponho o carro, tiro o carro, há hora que eu quiser
Am
Que garagem apertadinha, que doçura de mulher
G
Tiro cedo e ponho à noite, e às vezes à tardinha
F G C
Estou até mudando o óleo na garagem da vizinha!

C G
Ponho o carro, tiro o carro, há hora que eu quiser
Am
Que garagem apertadinha, que doçura de mulher
G
Tiro cedo e ponho à noite, e às vezes à tardinha
F G C
Estou até mudando o óleo na garagem da vizinha!

Adicionado por

Rui Alves

PARTILHAR

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUBLICIDADE

VIDEO