Gm
Tomo conta desta tua casa
                                                      D
Imprópria para amar, sei lá porquê
Não consigo agarrar o que me resta
                                                       Gm
Pedaços do que foste, e ninguém vê

Gm
Rendido ao teu sofá, nele me encontro
                                                      D
Repouso agora em sono mal dormido
Pretendo esclarecer o desencontro
                                                                Gm
Do nosso amor que há muito anda perdido

Refrão (2x)

     Cm
Eu sei
                                                           Gm
Que não é fácil conversar nem decidir
                                                                    D
Nem tudo é falso e sem cor vamos mentir
                                                         Gm
Que a perversão será ainda mais real

 

A leve embriaguez passa a febre
Num quente desconforto de um mendigo
Que aguarda numa esperança duvidosa
O gesto carinhoso de um abrigo

Pensar, sentir, querer, é tão confuso
A sensação da dor está revelada
Agora o que fazemos de nós dois?
Vivemos como se não fosse nada

Refrão

 

Adicionado por

Rui Alves

PARTILHAR

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUBLICIDADE

VIDEO