Com um início de tarde bem quente, as margens do Taboão enchem-se de pessoas nesta sexta feira de “ponte” e estes recebem os artistas do dia, do Jazz na Relva. O trio Rite of Trio animou e surpreendeu aqueles que os desconheciam, angariando novos fãs. 

 

Não há duas sem três e é com os sevilhanos Derby Motoreta’s Burrito Kachimba que arranca o terceiro dia do festival. Numa atuação energética, o grupo mostrou-nos de que é feito o rock psicadélico andaluzio. Seguiram-se os primeiros do dia a atuar no palco principal, os portugueses First Breath After Coma e as suas composições post-rock, género pouco explorado em Portugal. Num momento de transcendência, o concerto foi recheado de guitarradas distorcidas, teclados sonhadores e um contínuo coro, levando o público a deixar-se levar pela sonoridade dos mesmos. Bem acalorados pelo público, saem satisfeitos e com muitas palmas de quem os viu.

FOTO 1 - FIRST BREATH AFTER COMA @ FESTIVAL VODAFONE PAREDES DE COURA 2019

FIRST BREATH AFTER COMA @ FESTIVAL VODAFONE PAREDES DE COURA 2019 – dia 17
© Hugo Lima | hugolima.com

Entretanto, no palco secundário, dá-se início ao espetáculo do conjunto belga, Balthazar, que nos enche de sonoridades completamente diferentes daquelas que vêm do palco principal. Num indie pop-rock relaxado, com vários elementos espalhados pelo palco, a banda vibrou e animou bem o público que ainda não queria assistir a concertos mais “sérios”. 

 

Pelas 19h30 entra em palco o produtor, compositor e amigo de Father John Misty, Jonathan Wilson. De cabelos longos, barba grisalha e óculos RayBan, está tudo de acordo com o mood imposto. O músico americano mostra-nos como é um concerto de rock puro. Variando entre temas instrumentais e aqueles com guitarra a fundo, não houve nenhuma falha no espetáculo apresentado. Assim como em todas as canções tocadas, despede-se com um “Obrigado, thank you” americanizado. 

 

FOTO 2 - JONATHAN WILSON @ FESTIVAL VODAFONE PAREDES DE COURA 2019

JONATHAN WILSON @ FESTIVAL VODAFONE PAREDES DE COURA 2019 – dia 17
© Hugo Lima | hugolima.com

 

Cria-se a atmosfera ideal para receber quem vem a seguir no palco principal: o sol já se pôs, uma pequena neblina paira pelo anfiteatro e assim entram os Deerhunter. Os mais devotos agarram-se às grades do palco como que à sua vida, e acompanham os americanos em todas as suas letras. “I’ve been listening to a lot of Portuguese music lately”, refere o vocalista, mostrando a sua versão de alguns artistas que memorizou. Algumas distorções excessivas pelo meio, o post-rock psicadélico do grupo aqueceu bem o público que espera pelos cabeças de cartaz do dia. 

 

Do outro lado, no palco Vodafone FM, entra em aquecimento o músico neozelandês Connan Mockasin, pronto para nos seduzir com o seu dreampop psicadélico. Desde um mini tributo a Whitney Houston, à “Dillema” de Nelly, com uma garrafa de vinho sempre em cima do palco, a atmosfera de baby-making era notória em todo o público presente. 

 

FOTO 3 - CONNAN MOCKASIN @ FESTIVAL VODAFONE PAREDES DE COURA 2019

CONNAN MOCKASIN @ FESTIVAL VODAFONE PAREDES DE COURA 2019 – dia 17
© Hugo Lima | hugolima.com

 

No palco principal, a plateia já está bem preenchida e pronta para ouvir os Spiritualized, um grupo marcante dos anos 90 pelo seu rock espacial. Sem apresentações ou cumprimentos a quem os foi ver, a banda inicia uma espécie de hipnose musical. Para quem já é fã da banda de Jason Pierce, o concerto fez jus ao género que adota: um space rock, que nos deixou à deriva. Balançámos ao som das guitarras e sintetizadores reverberados, e deixámos que as canções nos levassem para bem alto. A melancólica “I’m your man” levou os braços do público de Coura ao ar para um momento cantado em coro. Um pequeno insert da por-todos-conhecida “Happy Day”, numa versão spacerock-gospel, que levou todo o público a cantar e bater palmas, os Spiritualized fecharam o penúltimo concerto principal, numa nota competente, porém distante. 

 

FOTO 4 - SPIRITUALIZED @ FESTIVAL VODAFONE PAREDES DE COURA 2019

SPIRITUALIZED @ FESTIVAL VODAFONE PAREDES DE COURA 2019 – dia 17
© Hugo Lima | hugolima.com

 

Silêncio que se vai dar início à missa de Father John Misty. De estaminé montado em palco, o músico americano entra a pés juntos, com cerca de 10min de atraso daquela hora que estava marcada. Numa noite bem fresca, o músico e a sua banda cheia de elementos musicais pregou-nos um alinhamento bem forte e acima daquilo que era esperado. Sem grandes conversas, Josh Tillman descalça os chinelos e deixa-se levar pela envolvência da sua música, criando um pequeno mundo dele. “Dance like no one’s watching”, sendo que, de facto, fê-lo, mas com milhares de olhos postos nele. “This is f*cking amazing”, exclama pela primeira vez desde que iniciou o concerto, começando então pequenos diálogos com o público mais próximo dele, sempre num tom de humor seco. Não há dúvidas da competência musical e vocal do artista, nem do quão contagiante é a sua energia excêntrica em palco. “I Love You, Honeybear” leva o público ao rubro, de mãos no ar e vozes altas mas é “Date Night” que nosso senhor John Misty escolhe para encerrar em grande a sua noite no festival minhoto. Contrariamente ao concerto de há quatro anos atrás, foi uma pena o concerto de Tillman ter fechado o palco principal de Coura numa hora tão tardia, num comprimento curto e numa noite tão gélida, mas não foi por isso que os seus ensinamentos não foram transmitidos, e que as almas de quem o viu não tenham sido abençoadas.

FOTO 5 - FATHER JOHN MISTY @ FESTIVAL VODAFONE PAREDES DE COURA 2019

FATHER JOHN MISTY @ FESTIVAL VODAFONE PAREDES DE COURA 2019 – dia 17
© Hugo Lima | hugolima.com




Adicionado por

Helena Soares

PARTILHAR

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *