A editora Lux Records, de Coimbra, anunciou nesta última quinta-feira, 9 de abril, na sua página oficial do Facebook, que o ano de 2020 será um dos anos de maior atividade desde sua criação, nos anos 90, afirmando que “ a pandemia do Covid-19 não estava nos planos, mas isso não nos impediu de seguir em frente com a programação de edições”.





Para começar o seu calendário, a editora, no dia 31 de janeiro, disponibilizou no mercado duas reedições dos primeiros trabalhos do The Legendary Tigerman Naked Blues e  Fuck Christmas I Got The Blues / In Cold Blood”, sendo destinadas também à promoção da mais recente digressão de Paulo Furtado –  “One Man Band.

Em 28 de fevereiro, após lidar com problemas de direitos de autor, foi editado finalmente o disco de estreia do projecto Animais, um disco de tributo à obra de Carlos Paredes, com o nome de “15 anos Sem Paredes”, com letras escritas por Pedro Nuno Lopes e Raquel Ralha. Já em 27 de março, a meio da quarentena imposta pela nova pandemia, foi lançado o novo álbum dos The Twist Connection, “Is That Real?”, celebrando de forma espontânea e convicta o mundo do rock.

Em abril, vemos a editora trazer também mais um disco dos Birds Are Indie, “Migrations – Travel Diares #1”, no dia 17, sendo um destaque aos 10 anos de atividades do trio conimbricense, formado por Ricardo Jerónimo, Joana Corker e Henrique Toscano. Até o final do ano, a Lux Records já afirmou que “editará ainda novos discos dos Jigsaw, Flying Cages e Tracy Vandal & John Mercy”.

“Em quase 25 anos de actividade nunca tivemos quaisquer apoios institucionais, e aprendemos a não depender de subsídios. Defendemos sempre que concertos, discos e downloads devem ser pagos porque a sua génese envolve sempre trabalho, tempo investido e custos associados”, afirmou a editora comunicado, lembrando que o dono, Rui Ferreira utiliza sua editora para dar a conhecer o melhor da música conimbricense, e não só.

A Lux Records também relembra que, nesta quarentena, não devemos esquecer de apoiar os artistas: “Se querem ajudar os artistas então comprem livros, comprem esculturas, comprem pinturas, comprem filmes e comprem discos (CD, vinil ou downloads)”.

Hoje a Lux Records possui um catálogo muito diverso, com uma mistura de boa música portuguesa, com nomes como: Belle Chase Hotel, Tédio Boys, The Legendary Tigerman, Sean Riley & The Slowriders, D3O, Wraygunn, Bunnyranch, Tiguana Bibles, Ruby Ann & The Boppin’ Boozers, Ghost Hunt, António Olaio & João Taborda, Azembla’s Quartet, Victor Torpedo, Tracy Vandal, Bodhi, The Walks, Millions, Wipeout Beat e Raquel Ralha & Pedro Renato.

 

Segue aqui o calendário de edições do 1° semestre deste ano:

 



Adicionado por

Marianna Miquilito

PARTILHAR

  1. Virgilio Carneiro

    15 Abril, 2020 at 21:20

    * * * GOSTO !!! * * *

    • João Ribeiro

      16 Abril, 2020 at 12:31

      Ficamos contentes que tenhas gostado, Virgilio! Mantêm-te atento para saberes mais notícias e novidades, como esta!

O seu endereço de email não será publicado.